domingo, 1 de novembro de 2015

Demissões, aumento do ritmo de trabalho, das doenças ocupacionais e assédio moral

Nov/2015
GM E SISTEMISTAS FAZEM MAIS UMA MANOBRA PARA DEMITIR E EXPLORAR AO MÁXIMO SEUS FUNCIONÁRIOS.

As empresas queriam continuar demitindo e day-offs ilimitados. Para conseguir isso contaram com o apoio do sindicato.
Quebra-peão, numa assembléia em maio, trouxe a proposta da GM como se fosse uma proposta da atual direção do sindicato.
A proposta era liberar day-off ilimitado e em troca não ter demissões, certo? ERRADO! A proposta da empresa e dos pelegos era liberar day-off ilimitado e não terminar com 3º turno. O que "esqueceram" de dizer é que iriam permitir a demissão de mais de 1000 colegas sem falar nada, ou seja, o equivalente à 1 turno.
As empresas fariam essas demissões a conta-gotas: 2 ou 3 trabalhadores por dia, em cada turno, para não aparecer que está fazendo demissão em massa. E os pelegos do sindicato iriam sumir da porta da fábrica por um tempo.

Ótimo acordo para a GM/Sistemistas e seus lacaios que estão no sindicato!
Péssimo acordo para nós trabalhadores!

Dessa forma a empresa conseguiu acabar com a quantidade de trabalhadores de um turno, mas manteve os colegas produzindo por 3 turnos!
               

AUMENTO DAS DOENÇAS E ASSÉDIO MORAL

Para fazer 3 mil trabalhadores trabalhar por 4 mil a empresa cortou os postos de trabalho e os líderes estão fazendo um forte assédio moral. Fora a ameaça constante de demissão (o jacaré ta sempre rodeando).
Quem não foi demitido nos próximos meses terá sérios problemas de saúde por estar trabalhando por 2 ou por 3 colegas: hérnia de disco, tendinite, burcite, desgaste nas articulações, stress...
Se contar os riscos de acidentes na linha, dentro da fábrica. Em outubro houve duas ocorrências que foram reconhecidas até pela própria GM como acidente de trabalho.
E pra ajudar aumentou o preço da consulta do nossos plano de saúde, que além de ser caro não tem um atendimento de qualidade.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por contribuir com a sua denúncia.