sexta-feira, 4 de julho de 2014

Salários no CIAG sem aumentar e diminuindo até 2017!

Este ano os pelegos do sindicato encheram as botas. Quebra-peão e sua quadrilha conseguiram fechar o pior acordo salarial para os trabalhadores e o melhor para os patrões.
GM, sistemistas e sindicato se aproveitaram que os trabalhadores estão endividados, e com três meses seguidos de contra-cheque ruim, pressionando para que aprovassem logo a proposta das empresas. Mesmo assim os trabalhadores resistiram reprovando duas vezes as propostas da empresa.
A GM faz aquela conversa falsa e hipócrita de que cada um é livre pra votar, mas na última assembleia os líderes fizeram forte pressão sobre os trabalhadores para que aceitassem a proposta da empresa, inclusive querendo monitorar o que cada peão ia votar. E Mola-Quebrada fez o migué na hora da votação não dando opção para ninguém votar contra, colocando para votação apenas 2 propostas. A primeira proposta nem existia mais pois era a primeira feita pela empresa e que a própria empresa já havia feito outra por ter sido reprovada em assembleia. E a segunda proposta foi a última proposta da GM, que o Quebra-Peão apresentou como sendo a proposta do sindicato (o que é verdade já que estão junto com os patrões). Ou seja, não deixaram nenhuma margem para reprovar a proposta e negociar outra melhor.
Com a progressão salarial de dez anos, a empresa continuará mandando embora aos poucos quem já está no teto. E os que ainda não chegaram no teto não vão durar muitos anos.
Com ajuda dos pelegos do sindicato os trabalhadores de Gravataí continuam tendo o pior salário e PPR de montadora do Brasil, e continuam sendo os trabalhadores mais produtivos de montadora. Mas isso não é novidade.
A novidade é que agora Mola-Quebrada ajudou o patrão a fechar um acordo para DIMINUIR NOSSO SALÁRIO! Isso mesmo, além de não termos nenhum aumento, ainda teremos o salário diminuído nos próximos anos até 2017!

Como os patrões e pelegos da direção do sindicato fizeram isso?
1º Usaram como referência o INPC que é um índice médio nacional quando na verdade a inflação varia de um estado para outro. Segundo o IEPE da UFRGS, a inflação da cesta básica foi de 10,96% na região metropolitana de Porto Alegre, que tem a cesta básica mais cara do Brasil. E o Índice de Preços ao consumidor dos últimos 12 meses é de 8,60%.

Reajuste necessário para cobrir a inflação do período (IEPE)
Reajuste oferecido pela GM
Reajuste acordado entre sindicato e GM
Diminuição do salário dos trabalhadores da GM
8,60%
5,7%
7%
7% - 8,60% = -1,6%
Ou seja, não ganhamos nem a miséria de 1,3% acima da inflação que o sindicato e GM chamam de “aumento real”! Nosso salário diminuiu -1,6%.  Nosso salário irá diminuir nos próximos anos.

E se a GM não fechou os valores de PPR não é por qualquer pressão do sindicato, mas sim porque as empresas estão de olho que pode ocorrer uma crise até 2016 e não querem se comprometer com nenhum valor, pois se vier uma crise vão diminuir a produção e vão querer vir com uma proposta de diminuir o PPR!

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por contribuir com a sua denúncia.