quinta-feira, 29 de outubro de 2009

FERRABRAZ BECKER E O PPR - OUTUBRO DE 2009

CAMPANHA SALARIAL.

Todos percebemos que não houve campanha salarial, aliás, esse acordo coletivo foi um dos piores do Brasil.

E não foi por causa da "crise" que a campanha fracassou, mas sim por causa da prática errada que a Força Sindical aplica na base metalúrgica, que tem como meta a negociação sem mobilização, ou seja, não faz nada de novo. Parece uma corrida de tartaruga e um coelho, quanto maior o tempo maior a distância...

Não podemos aturar uma campanha salarial ridícula, onde o aumento foi de R$ 0,12 para muitos, como no caso dos companheiros que ganhavam R$ 2,80 e passaram para R$ 2,92 e o pior de tudo é que eles irão descontar 3% de "contribuição" sindical, sem fazer nada, mamando na teta e sem mobilizar a categoria.

É por isso mesmo que teremos que nos sindicalizar, porque precisamos dar todo o apoio a Oposição Metalúrgica. Vamos até o sindicato e preencher a ficha de sócio e derrubar essa pelegada com nosso voto.


QUEREMOS AUMENTO JÁ!

Chega de blábláblá, queremos uma resposta da direção da empresa sobre a política de cargos e salários. Estamos trabalhando muito e ganhando pouco.

Ou a empresa responde nossas reivindicações ou paramos a produção.
Hora extra não é salário!



QUANDO IREMOS DISCUTIR A PLR?

A empresa está faturando e muito. Na EXPOINTER a venda de máquinas agrícolas (principal cliente da Fundição Becker) ultrapassou o ano anterior, efetivando o aquecimento das vendas do setor e, consequentemente, de quem fornece as peças do maquinário.

Então não tem explicação de não se discutir a participação dos lucros. Queremos discutir já, com uma comissão votada pelos trabalhadores e sem a pelegada da direção do sindicato, para não acontecer como no ano passado, quando os trabalhadores ficcaram zerados no PLR e a direção pelga usosu da mobilização dos trabalhadores para atender seus interesses próprios.


SEM CONDIÇÕES DE TRABALHO.

Não há condição de trabalho com tanta coreria. A empresa demitiu muito e contratou pouco. Querem que o peão trabalhe por dois. As consequênncias são: tendinites, acidentes e esgotamento físico.

Chega de exploração para aumentar a fortuna do patrão!


* Informativo criado por iniciativa de um grupo de trabalhadores da Ferrabraz (Fundição) Becker no Distrito Industrial de Gravataí para denúncia dos abusos patronais e para conscientizar e mobilizar seus colegas de empresa.
_
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por contribuir com a sua denúncia.